A aplicação dos pisos Tecnovilla é recomendada em diversos tipos de ambientes de alta agressividade química e mecânica. A maioria dos casos se refere a cozinhas industriais ou indústrias alimentícias. No entanto, nesses ambientes, muitos projetistas ainda insistem em especificar outra tecnologia de piso: o extrudado.

Embora seja tradicional no mercado, os pisos extrudados apresentam limitações técnicas neste tipo de aplicação, principalmente pela alta absorção de água e grande variedade de tamanho entre as peças e pelas juntas muito largas. Esta questão das juntas largas, em médio ou longo prazo, pode causar grandes problemas para as cozinhas industriais, como contaminações, trepidações de carrinhos, lascamento dos pisos, maior consumo de rejunte antiácido, dificuldade de limpeza e aspecto de sempre estar sujo e manchado. Há riscos, inclusive, de o proprietário ver seu ambiente autuado pela vigilância.

Entenda qual detalhe técnico pode gerar este tipo de situação e como evitá-la com uma especificação mais adequada. A principal diferença está no processo de fabricação entre as duas tecnologias de piso. No caso das cozinhas industriais, os pisos Tecnovilla apresentam vantagens em conformidade, segurança, estética e menor custo.

pisos-tecnovilla

Pisos Tecnovilla para cozinhas industriais

FABRICAÇÃO: PISOS TECNOVILLA E EXTRUDADOS

O piso extrudado é uma cerâmica, feito por meio de um processo de fabricação conhecido como extrusão. Neste modelo, após a mistura dos componentes, a massa do material é transportada ao longo de uma esteira e cortada por uma lâmina em distância específica. Depois disso, as peças são inseridas em um forno e saem de lá como revestimentos cerâmicos. Pisos e revestimentos cerâmicos extrudados são produtos de boa resistência, que têm maior absorção de água, maior variação dimensional e de tonalidade; características que os deixam mais propícios a serem utilizados em áreas externas, fachadas e piscinas, ambientes onde as variações têm maior valor estético.

Por sua vez, os pisos Tecnovilla são porcelanatos técnicos industriais, produzidos pelo mesmo processo de fabricação dos porcelanatos. Uma seleção especial de argilas é base para a massa, que é moída, atomizada e despejada em fôrmas que compactam e prensam firmemente peça a peça, o que garante dimensão mais exata e, consequentemente, peças uniformizadas. Tecnovilla recebe aditivos antiácidos que são fundidos juntos com a massa, e o material é inserido em um forno de altíssima temperatura para atingir alta resistência.

AS COZINHAS E A ANVISA

Cozinhas industriais são qualquer tipo de cozinha destinada à produção ou manipulação de alimentos para consumo de terceiros. Isso inclui uma vasta gama de projetos, como restaurantes, padarias, lanchonetes, fast foods, hospitais, refeitórios de empresas, entre outros.

No Brasil, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) é o órgão responsável por orientar o uso de materiais para cozinhas industriais. Além disso, ela também delega a fiscalização destes ambientes para vigilâncias regionais.

Embora não especifique exatamente o tipo de produto que deve ser utilizado para revestir o piso, a vigilância sanitária determina requisitos a serem atendidos que reduzem as possibilidades de acidentes e contaminações: material liso, antiderrapante, impermeável, lavável, de fácil higienização e resistente ao uso e aos produtos de limpeza e desinfecção. Expomos tudo que órgão diz sobre piso para cozinha industrial neste outro conteúdo.

Porém, é importante destacar que a principal demanda das obras é pela conformidade com as regulamentações brasileiras. No caso das cozinhas industriais, os pisos Tecnovilla apresentam as características mais apropriadas em relação às exigências da Anvisa, além de outros benefícios para o projeto em geral.

O SEGREDO DAS JUNTAS

Devido ao processo de fabricação, os pisos Tecnovilla possuem maior precisão dimensional e juntas de apenas 3 mm, enquanto os extrudados precisam de juntas largas, geralmente de 8 a 10 mm. Juntas menores acumulam menos sujeiras e, consequentemente, facilitam a limpeza e reduzem os riscos de contaminação — que, uma vez constada na lauda fiscal, pode levar o estabelecimento à autuação.

piso-extrudado

As juntas maiores dos pisos extrudados acumulam mais sujeiras e geram maior risco de contaminação no ambiente

Juntas menores também são menos visíveis, o que garante apelo estético mais clean ao projeto e facilitam uma paginação sem muitos traços. Fora isso, reduzem a trepidação dos carrinhos que se movimentam constantemente nas cozinhas industriais.

Por fim, as juntas menores minimizam o consumo do rejunte antiácido, produto de custo elevado. Desta forma, considerando ainda que são de fácil instalação — não exigem mão de obra específica —, os pisos Tecnovilla proporcionam menor custo total ao projeto em relação ao extrudado.

Veja mais informações sobre o piso Tecnovilla para cozinhas industriais acessando a página do produto.

A A2técnica é representante direta de diversas fábricas. Caso tenha dúvidas sobre pisos Tecnovilla ou um projeto de cozinha industrial, entre agora em contato conosco.