A escolha de pisos para cozinhas é uma decisão séria para donos de restaurantes e padarias, que deve ser feita com cautela e rigor técnico.  Isso porque cozinhas de restaurantes, padarias, hotéis, supermercados, escolas e quaisquer locais onde haja preparo ou manipulação de alimentos para consumo de terceiros estão sujeitos à fiscalização por parte de vigilâncias regionais. Em caso de inconformidades como contaminações, sujeiras, pisos desgastados ou irregulares, riscos de escorregamentos, o estabelecimento pode ser autuado, multado e até mesmo interditado.

Problemas desse tipo podem decorrer da escolha de um piso inadequado. Não é raro, por exemplo, encontrar pisos de cozinhas de restaurantes e padarias revestidos com pisos cerâmicos convencionais, granitos, concreto liso, porcelanatos esmaltados e outros tipos de pisos que não tenham resistência aos resíduos dos alimentos, aos produtos de limpeza e desinfecção ou mesmo que coloquem em risco a segurança dos usuários.

Portanto, para evitar futuras dores de cabeça, o ideal é escolher o piso adequado, tanto em uma reforma quanto em uma nova construção de uma cozinha industrial. Para te ajudar, indicamos abaixo as três opções de pisos para cozinhas industriais que mais facilmente se adequam às normas da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

1. Porcelanato Técnico Industrial

Também conhecido como piso técnico industrial, piso técnico antiácido, entre outras denominações, este tipo de piso é produzido pelo mesmo processo dos porcelanatos. Uma mistura de argilas selecionadas e aditivos, moídas, umedecidas e peneiradas, é despejada em fôrmas que são compactadas e prensadas firmemente, já no formato das peças. Após isso, o material é inserido em forno de altíssima temperatura, superior a 1200ºC, que proporciona alta resistência mecânica e mínima absorção. Nesta fase de fusão é que são adicionados aditivos à massa, o que garante ao porcelanato técnico industrial a resistência química e antiácida necessárias para suportar o uso em cozinhas industriais e ambientes de alta agressividade, diferenciando este tipo de produto de um porcelanato convencional.

pisos-tecnovilla

Porcelanato técnico industrial em área de panificação

Conhecer um pouco sobre o processo de fabricação é importante para entender as vantagens entre os diferentes tipos de pisos para cozinhas industriais.

Neste caso, o porcelanato técnico industrial é o único capaz de garantir as dimensões mais exatas possíveis entre cada peça. Isso, consequentemente, faz com que o porcelanato técnico industrial tenha juntas menores, reduzindo o acúmulo de sujeiras e o desgaste precoce do rejunte, facilitando a limpeza, minimizando os riscos de contaminação e oferecendo um melhor aspecto visual da cozinha. A instalação dos porcelanatos técnicos industriais é convencional, como qualquer piso cerâmico ou porcelanato.

2. Piso Cerâmico Extrudado

Por sua vez, o piso cerâmico extrudado é feito por meio de um processo conhecido como extrusão, ou cerâmica extrudada. Neste modelo de fabricação, uma esteira transporta o material misturado até uma distância em que ele é cortado por uma lâmina. As peças também são inseridas em um forno para atingir resistência e saem de lá como revestimentos cerâmicos.

pisos-para-cozinhas-extrudado

Aplicação de piso cerâmico extrudado em cozinha industrial

Os pisos cerâmicos extrudados possuem maior absorção de água, maior variação de tonalidade e dimensional entre as peças. Estas características, resultantes do processo de fabricação por extrusão, oferecem peças com efeitos de variação que são valorizadas em aplicações arquitetônicas como fachadas, pisos internos e externos. No entanto, em cozinhas industriais, fazem com que haja necessidade de peças com maior espessura (para atingir resistência mecânica) e com juntas bem mais largas, geralmente de 8 a 10mm (pela variação de tamanho entre as peças). E, pela absorção de água maior, ainda estão suscetíveis à manchas, oferecendo um aspecto de “sempre sujo” às cozinhas.

A necessidade de se utilizar juntas largas pode dificultar a limpeza do ambiente e aumentar os riscos de contaminação e lascamentos dos pisos com o deslocamento de carrinhos (com trepidação) e equipamentos. Sem contar que a instalação, apesar de convencional para pisos cerâmicos, consome maior quantidade de rejunte antiácido, produto de custo elevado. O piso extrudado é uma solução bastante antiga e tradicional, por este motivo ainda é utilizada em pisos de cozinhas de restaurantes e padarias.

3. Pisos Resinados Epóxi ou Uretano

Os pisos resinados, ao contrário das opções de cerâmicas técnicas (prensadas ou extrudadas), são moldados in loco. Isso quer dizer que o material é aplicado no ambiente antes de chegar ao seu estado final, ou seja, ainda como uma mistura, recebendo acabamento com desempenadeira, se não for autonivelante. Este tipo de instalação requer mão de obra especializada.

pisos-para-cozinhas-resinado

Aplicação de piso resinado em cozinha industrial

Para cozinhas industriais, as misturas mais utilizada são à base de epóxi ou uretano. Em relação aos cerâmicos, o piso resinado tem a vantagem de ser monolítico, sem juntas. Porém, sua resistência mecânica não é tão constante, seu custo inicial é bem mais elevado, há risco de surgir bolhas provenientes do substrato e um simples reparo pode se tornar dificultoso de resolver.

Por estes motivos, os pisos resinados são mais indicados para utilização em grandes indústrias, tendo seu custo x benefício bastante reduzido para cozinhas de padarias e restaurantes.

Nossas Recomendações

A Anvisa não especifica exatamente o tipo de piso ideal para cozinhas de restaurantes e padarias. No entanto, ela indica que o material deve ser liso, antiderrapante, lavável, impermeável, de fácil higienização e resistente ao uso e aos produtos de limpeza e desinfecção, o que restringe as opções existentes. Saiba mais sobre o que diz a Anvisa sobre o piso para cozinha industrial.

Entre as três opções mais adequadas a essas exigências, citadas acima, o piso cerâmico técnico prensado (porcelanato técnico) apresenta o melhor conjunto de vantagens.

Um bom exemplo é o piso para cozinhas industriais Tecnovilla, que permite juntas finas, de apenas 3mm, têm maior resistência química e mecânica que pisos extrudados e custo final menor. Em relação aos pisos uretano e pisos epóxi, Tecnovilla oferece custo muito menor e facilidade de mão de obra, instalação e reparos. Além de garantir mais conformidade entre o projeto e a fiscalização, Tecnovilla permite a concepção de cozinhas com melhor desempenho, menor custo e dispensa mão de obra específica.

Se você ou seu cliente tem uma cozinha profissional, também pode se interessar por este artigo: 5 opções de pisos e revestimentos para cozinhas de restaurantes e padarias

A A2técnica é representante direta da fábrica dos pisos Tecnovilla e especializada em atender construtoras, comércio e indústrias em todo o Brasil. Caso tenha dúvidas sobre pisos para cozinhas de restaurantes e padarias, entre em contato conosco.